PROJECTO EDUCACIONAL DE DIVULGAÇÃO E PRÁTICA DA FILOSOFIA - NOVAS PRÁTICAS FILOSÓFICAS

Acompanhe-nos no facebook: https://www.facebook.com/entelequia.filosofiapratica?ref=ts&fref=ts

Consultores, Facilitadores e Formadores certificados:
American Philosophical Practitioners Association (APPA); Institute for the Advancement of Philosophy for Children (IAPC); Institut de Pratiques Philosophiques; Associação Portuguesa de Aconselhamento Ético e Filosófico (APAEF); Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC).
Membro afiliado do Institute for the Advancement of Philosophy for Children (IAPC).

quinta-feira, 10 de Abril de 2014

Filosofia para Crianças & Literatura


 
LITERATURA É O TEMA DA PRÓXIMA SESSÃO DE FILOSOFIA PARA CRIANÇAS, Biblioteca Municipal de Silves


Tem lugar no próximo dia 12 de abril, pelas 15h30, na Biblioteca Municipal de Silves (BMS), mais uma sessão da rúbrica lúdico-didática “Filosofia para crianças”, dinamizada pelo projeto Enteléquia – Filosofia Prática. “À descoberta da Literatura” é o tema deste mês. A participação é gratuita, mas requer inscrição prévia.

+ info em http://www.cm-silves.pt/portal_autarquico/silves/v_pt-PT/pagina_inicial/noticias/filosofia+para+crianças_abril_2014.htm

domingo, 30 de Março de 2014

Filosofia para Crianças - Adultos e Crianças: Que diferenças?

Ginásio da Mente no Colégio Central de Gueifães


As hipóteses avançadas foram clarificadas e problematizadas. Sendo o exercício um de generalização, rapidamente atacaram a distinção lógica entre Todos e Alguns.

 Por exemplo:
- Nem todos os adultos tomam banho sozinhos, o meu avô precisa de ajuda;
- O meu pai é adulto e não fuma;
- Tenho o livro dos recordes do Guiness e eu sou mais alto que o senhor mais baixo do mundo;
- Os dentes da minha avó não são dela. Por isso os meus são maiores.
- As crianças também trabalham: na escola e em casa;
- Eu já conduzi o carro da minha mãe. Sentei-me ao colo, mexi o volante e o carro andou;
- Os adultos sabem mais coisas porque andaram muito tempo na escola e depois foram para a faculdade. Mas as crianças sabem mais de outras coisas: playstation e desenhos ...

terça-feira, 25 de Março de 2014

Ainda a propósito do Dia Mundial da Felicidade: O QUE É NECESSÁRIO?

Registo do diálogo no COLÉGIO CENTRAL DE GUEIFÃES com alunos do 1º e 2º anos.


Uma semana passou. 

O Guilherme (7 anos) surpreende-nos: foi para casa pensar, pensar e pensar e sintetizou o seu pensamento nesta hipótese:

sábado, 22 de Março de 2014

sexta-feira, 21 de Março de 2014

Abraçar as Árvores

Hoje o sol e as comemorações (Dias Mundiais da Árvore e da Floresta) levam o grupo do 4ºA de Filosofia para Crianças ao exterior.

A actividade consiste em ser entrevistado enquanto se abraça uma árvore.
Por entre alguns «Tem bichos!...»,  «Tem teias!...» e ou «Suja!...» lá se vão desenrolando as entrevistas sob alguns olhares curiosos que passam na rua.

1. Descreve a árvore.
2. Como é abraçá-la? O que sentes?
3. Quais as semelhanças entre a árvore e uma pessoa?
e por último,
4. Como tratas as árvores?

Num olhar panorâmico sobre as várias respostas vemos árvores descritas como:
duras; macias e fofinhas; grandes; amigas; ásperas; tem formigas; parece que tem uma campainha; peganhenta para sujar blusas; com muitas folhas...

Abraçar as árvores é uma experiência:
"boa, sinto-me bem"; "é um bocado nojento pois tem muita seiva mas também é confortável"; "assim-assim, não é bom nem é mau"; "confortável, relaxante, alegre e livre".

Algumas semelhanças entre a árvore e uma pessoa têm que ver com o facto de ambas "terem um tronco"; "serem livres e um ser vivo"; "são confortáveis de abraçar" e "ambas se abraçam da mesma forma".

Quando é altura de falar da forma como tratam as árvores, os entrevistados dizem cuidá-las "bem", nomeadamente "regando-as" (a resposta mais presente), "acariciando-as e mudando a terra". Há ainda quem ressalve que "não as pisa".



Pois bem, o relógio faz soar a campainha ficando no ar a mescla de ideias que se tratarão na próxima sessão: como devemos tratar as árvores? Igual ou diferentemente das pessoas? Porquê? E a natureza? Deve ser tratada como? Será que tem um tratamento especial? Terá direitos? Quais serão?



Grata pela disponibilidade de todos os participantes!

sábado, 15 de Março de 2014

Filosofia para Crianças & Desenho

Tudo pronto para o início desta sessão a partir de Desenho.
A Biblioteca Municipal de Silves é banhada por uma luz maravilhosa, o que torna ainda mais aprazível o nosso tempo dedicado à Filosofia para Crianças

  
Ter um tempo marcado para cumprir determinada tarefa faz-nos tomar opções, obriga-nos a eleger ou a identificar aquilo que é essencial e a distingui-lo do acessório.

Foi esse o principal objectivo deste exercício: desenhamos três vezes o modelo acima, primeiro com cinco minutos, depois em dois minutos e por último em um minuto.
E fomos observar a exposição!



Foi fácil começar a ver e apontar as diferenças entre o primeiro desenho e o terceiro:

 


Pois bem, em menos tempo começam a escassear determinados pormenores. Coisas como, a etiqueta do casaco, o parafuso, os plásticos, o bigode da mesa e as rodinhas deixam de ser importantes, tornam-se não essenciais.
Porém, para passar a mensagem inicial para o papel, em cerca de um minuto, é obrigatório registar o gato, o casaco, o saco, a fruta e... quanto à cadeira... restaram algumas dúvidas!



No final da sessão, elevamos a fasquia, e, já que discutíamos acerca da cor do gato, se seria essencial ou não, fizémos um gato em dez segundos:


Entre outras coisas, esta sessão foi «um teste [permantente] porque estava sempre a ver se conseguia fazer o desenho naquele tempo.» (Romeu)

Obrigada às Marianas, à Soraia, ao Igor, ao Miguel, ao Tiago, ao Diogo, ao Romeu, ao Luís, à Leonor, à Zibah, ao Martim e à BM de Silves, pela participação e pelo empenho!

quinta-feira, 13 de Março de 2014

Filosofia para Crianças - Desenho



O telefone 282 442 112 e o endereço de correio eletrónico biblioteca@cm-silves.pt são os contactos da Biblioteca Municipal de Silves para efeitos de inscrição (grátis) e fornecimento de informações detalhadas sobre esta rúbrica.

segunda-feira, 10 de Março de 2014

Workshop FILOSOFIA PARA CRIANÇAS em Guimarães

 

GUIMARÃES


Local: CONVÍVIO
(Largo João Franco)



Sábado, 15 de Março

09:30 - 13:00



Inscrições na ASSP   5€ 
(até dia 13 de Março)






Uma parceria com   
Associação de Solidariedade Social dos Professores - Delegação de Guimarães

quarta-feira, 5 de Março de 2014

Acção de Formação “FILOSOFIA COM CRIANÇAS: fundamentos, métodos e práticas”

Uma parceria com   

Associação de Solidariedade Social dos Professores - Delegação de Guimarães


Formador: Nuno Ricardo Paulos Tavares
Destinatários: Educadores de Infância e Professores dos 1º e 2º ciclos do Ensino Básico
Modalidade: Curso de Formação
Duração: 25 horas presenciais
Créditos: 1
Local de Realização: Sede da Associação de Solidariedade Social dos Professores (Guimarães)


Siga os LINKS: 


- CRONOGRAMA  1ª sessão: 22/03/2014
 

Inscrições: Centro de Formação Francisco de Holanda

Dúvidas e esclarecimentos: 253 513 073

sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2014

Diálogo filosófico com crianças: O que nos causa espanto?

GINÁSIO DA MENTE - COLÉGIO CENTRAL DE GUEIFÃES

  • Pergunta-estímulo
  • Exemplicação: cada participante apresenta um exemplo
  • Clarificação: cada exemplo é objecto de perguntas de clarificação
  • Crítica dos exemplos: é um exemplo adequado?  Sim? Não? Porquê?
  • A partir de algo em comum, é possível construir  categorias?      
(O grupo concluiu que era possível distinguir 2 tipos de espanto: um positivo e outro negativo. Esta adjectivação resulta da consideração dos resultados do espanto no espantado: o positivo produz admiração, o negativo produz medo.)

Por concluir ficou o animado diálogo sobre o Triplo Salto Mortal!  Até agora parece ser um exemplo problemático. Foram apresentadas razões para pertencer a ambas as categorias.

 Veremos para a semana!

quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

Auto-avaliação


A palavra de hoje foi avaliação e o 4º D, como sempre, bem respondeu a ela.
Estabeleceu-se um diálogo que pretendeu reflectir acerca das próprias reflexões, desde que nos encontramos, semanalmente, ao longo deste ano lectivo.
«O que fazemos nas sessões de Filosofia para Crianças?»
«É importante? Porquê?»
«O que já aprendi?»
«Qual a qualidade do nosso diálogo?»


«Nestas sessões interpretamos» (D.); «fazemos perguntas» (D.); «aprendemos a cuidar do ambiente e da natureza» (D.B.); «falamos sobre coisas da vida» (A:); «respondemos a perguntas» (D.B.); «não damos matéria» (B.)...

Já aprendi «a pôr o dedo no ar e a esperar» (R.); «a responder com serenidade» (D.B.); «a ver quando estamos a fugir do assunto (antes nem sequer sabia!)» (B.)


A Filosofia para Crianças é importante porque «há coisas que eu sempre quis explicar e aqui faço isso. Aqui falo e digo coisas que nunca pensei e as perguntas da professora ajudam.»; «Também ficamos a conhecer os colegas, como é que eles resolvem. Se não fosse assim, só sabia que o R. era traquinas e a I. é irrequieta. Assim, fico a saber como eles pensam.» (C.); «Corrigimo-nos.» (D.)


Os nosso diálogos são Bons, sendo que podem melhorar se o comportamento melhorar um pouco. 

A última foto foi dedicada, claro, ao Carnaval!!!

segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2014

O Vendedor de Ilusões


O Vendedor de Ilusões animou a sessão de hoje!

Seguem-se as possíveis morais da história:

 E o respectivo diagrama da discussão investigativa:

sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2014

Heraclito


Uma ficção juntou dois filósofos da escola jónica num banho à beira-rio...

«-Tales, não poderias entrar duas vezes no mesmo rio.» Heraclito











Grata ao 4º A